Alongamento e Reconstrução Óssea

Patologias Frequentes

Aqui você vai encontrar exemplos de patologias que, freqüentemente, buscam tratamento no dia a dia do consultório.

Os casos são apresentados com uma breve historia e as imagens do pré, trans e pós operatório.

Esperamos que, através destes exemplos, possa ser apresentada a idéia básica dos tratamentos e seus resultados.

Patologias Congênitas

Aqui são demonstrados casos de pacientes portadores de anomalias congênitas, transmitidas hereditariamente e que trazem importantes deformidades que, se não tratadas adequadamente, trarão grandes dificuldades funcionais e psicológicas.

Nos casos de patologias congênitas, geralmente, o tratamento inicia na idade pré-escolar.

As mais frequentes são:

  • Femur curto Congenito
  • Hemimelia Fibular
  • Pé torto congenito
  • Braquimetatarsia
  • Pseudo artrose congenital de tibia, etc

Exemplo de um caso de Braquimetatarsia:
(Encurtamento congenito do quarto metatarsiano do pé)

Deformidade e Encurtamento

Geralmente são seqüelas de trauma que resultou na deformidade que pode ser rotacional, angular nos mais variados planos e muitas vezes são acompanhadas e encurtamento.

O tratamento de reconstrução geralmente é realizado através de pequenos cortes e colocação de fixador externo que promoverá a correção gradual, ou aguda da deformidade e encurtamento, simultaneamente.

Exemplo de deformidade com encurtamento:

Infecção e Osteomielite

Uma das mais graves complicações do tratamento cirúrgico das fraturas é a infecção. Até há pouco tempo era uma seqüela incurável pela impossibilidade de realizar a ressecção de 10 a 15cm de osso com infecção ou mais porque não havia possibilidade de preenchimento desta falha óssea criada.

Com as técnicas de transporte ósseo realizada com fixadores externos conseguimos resolver problemas graves e que, muitas vezes, terminavam em amputações.

Para saber mais clique aqui.

Pseudo-Artroses

A pseudo artrose é a falta de consolidação de uma fratura, levando o paciente a anos de uso de tutores externos e muletas para sua movimentação.

Temos casos em que o paciente permaneceu 20 anos sem solução e, normalmente, são submetidos a vários procedimentos cirúrgicos antes do uso de um fixador externo que pode, na maioria dos casos, resolver o problema sem a colocação de enxerto.

Sequelas de Tumor Ósseo

Pela necessidade da ressecção de um tumor ósseo com boa margem de segurança, esses pacientes ficam em uma situação semelhante a do paciente submetido à ressecção óssea por osteomielite com o agravante de ser um paciente, muitas vezes, imunologicamente deprimido pela quimioterapia ou com problemas de pele pela radioterapia.

Os tratamentos tradicionais podem ser realizados com enxertos ósseos ou com o próprio osso do paciente, irradiado e colocado para o preenchimento da falha.

Cada vez mais estamos usando, como tratamento primário a reconstrução óssea, diretamente com o uso de fixador externo e/ou transporte ósseo sem necessidade de colocação de enxerto.

O fixador externo pode tambem ser usado quando existe falha na colocação de enxertos ósseos como, por exemplo, o uso da fibula contralateral.

O Que Dizem Nossos Pacientes

“Quando conheci o Dr. Slomka logo pensei passar por mais "um" médico, mas era o que a vida me oferecia depois de um osteossarcoma e com várias sequelas, sendo ela o encurtamento de mais ou menos 12 cm da perna esquerda.

Ciente da sua qualificação em fixadores, resolvi encarar,...”

maisRosane Silva dos Santos
24 de fevereiro de 2011

Porto Alegre Health Care